Avicis: desmistificando o alfaestradiol

facebooktwittergoogle_pluspinterest

Avicis: desmistificando o alfaestradiol (Chega de Queda!)

Entre os diversos tratamentos tópicos disponíveis para a calvície masculina e feminina, o Avicis é uma das opções mais prescritas pelos médicos (provavelmente atrás apenas do minoxidil).

O produto promete minimizar a ação do hormônio responsável pela alopecia androgenética, a dihidrotestosterona (DHT). Acredita-se que o seu mecanismo de ação seja parecido com o da substância mais conhecida nesse departamento, a finasterida (famosa pela sua eficácia, mas também temida pelos seus possíveis efeitos colaterais).

O que deixa muita gente desconfiada do Avicis é o fato de o seu princípio ativo ser uma variação de um hormônio feminino. Apesar de a versão utilizada no produto ser fraquíssima, muitos homens têm receio de testá-la e manifestar efeitos colaterais parecidos com o da finasterida.

Vamos analisar de perto o Avicis, entender como ele funciona e dissipar todos esses medos de uma vez por todas.

O que é Avicis?

Caixa e embalagem do medicamento Avicis (alfaestradiol)Avicis é uma solução capilar para tratamento e prevenção da alopecia androgenética leve a moderada em homens e mulheres, produzida pela companhia farmacêutica Galderma.

No exterior, o produto é vendido com os nomes de Avixis (na Argentina, Peru e México) e Ell Cranell (na Alemanha, onde também existe uma versão chamada Pantostin, produzida pelo laboratório Merz – que também fabrica o Pantogar).

Como funciona?

Antes de falar especificamente sobre o Avicis, é preciso entender um pouco sobre o estradiol, o principal hormônio sexual feminino (que os homens também produzem, mas em quantidades bem menores que as mulheres). Ele é fundamental para o desenvolvimento das características sexuais femininas, regulação do ciclo menstrual, saúde dos ossos (ajuda a evitar a osteoporose), entre outras funções.

O estradiol é um dos hormônios que aumenta durante a gravidez, período no qual muitas mulheres relatam melhorias notáveis no cabelo: a proporção de fios na fase anágena aumenta e o cabelo fica mais cheio e denso (ao final da gravidez os níveis voltam ao normal, o que pode desencadear um episódio de eflúvio telógeno).

Ele também pode ajudar as mulheres a não apresentarem as infames “entradas” que tanto incomodam os homens: estudos indicam que a enzima aromatase, que converte testosterona em estradiol, está presente em maior quantidade na linha frontal (onde os cabelos começam a surgir na testa) das mulheres do que na dos homens.

Acredita-se que, com isso, sobre menos testosterona para ser transformada em DHT, o hormônio mais associado à calvície (para saber mais sobre esse processo, clique aqui). Alguns inibidores da aromatase são utilizados em tratamentos para quadros de câncer, e têm como efeito colateral conhecido a queda de cabelo.

Quando falamos em estradiol, geralmente nos referimos à versão mais potente dele, chamada de 17 beta-estradiol. O que o Avicis contém é um isômero chamado 17 alfa-estradiol. Isômeros são moléculas que têm a mesma fórmula, mas com átomos arranjados de modos diferentes.

Isômeros 17 alfa estradiol e 17 beta estradiol

O 17 alfa estradiol (presente no Avicis) é um estereoisômero do 17 beta estradiol: a única diferença entre eles é a posição dos elementos na área marcada em azul e vermelho na imagem. (Fonte)

A diferença entre uma molécula e o seu isômero muitas vezes parece pequena, mas eles podem ter efeitos extremamente diferentes. No caso do estradiol, a versão beta é o estrógeno natural mais potente que conhecemos, mas a versão alfa é considerada praticamente inativa hormonalmente.

Isso é uma vantagem porque evita vários dos possíveis efeitos colaterais feminilizantes que estrógenos mais fortes poderiam provocar, e viabiliza o uso do 17 alfa-estradiol em pacientes do sexo masculino.

Segundo a bula do Avicis, o 17 alfa-estradiol “acelera a atividade proliferativa das células matrizes capilares humanas in vitro. Além disso, antagoniza o efeito inibitório da testosterona e diidrotestosterona sobre os folículos capilares anágenos humanos in vitro. O mecanismo de ação se dá, provavelmente, através da inibição das duas isoformas atualmente conhecidas da 5α-redutase na pele”.

Já vimos estudos indicando que o 17 alfa-estradiol também pode aumentar a atividade da aromatase nos folículos, o que também poderia explicar os efeitos do produto.

Quais os possíveis efeitos colaterais do Avicis?

A bula não relata efeitos sistêmicos conhecidos. O maior risco parece ser o surgimento de irritações (queimação, coceira e/ou vermelhidão) nas áreas onde o produto foi aplicado, devido à presença de álcool na fórmula. Pelo mesmo motivo, o couro cabeludo também pode ficar mais seco que o normal.

Muita gente tem medo de desenvolver efeitos colaterais relacionados a fatores hormonais, como impotência, ginecomastia e afins. Nenhuma dessas ocorrências é conhecida com o uso do Avicis – como já mencionamos, o 17 alfa-estradiol é considerado quase inativo nesse sentido.

Não utilize o produto se tiver hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula, e lembre-se de conferir também a data de validade: nunca utilize medicamentos vencidos, e se houver qualquer mudança no aspecto do produto (o Avicis é um líquido incolor ou levemente amarelado), mesmo que ele esteja dentro do prazo de validade, apresente a um farmacêutico para saber se ele ainda está em condições de uso.

Se surgir qualquer reação durante o uso do produto, avise ao seu médico.

Existe idade mínima pra usar Avicis?

Sim. O Avicis é contraindicado para menores de 18 anos de idade, porque os efeitos do medicamento nessa faixa etária ainda não foram estudados.

Pode usar durante a gravidez e amamentação?

Como não existem estudos sobre o princípio ativo do Avicis durante a gravidez e lactação, o produto é contraindicado para mulheres que estejam amamentando e deve ser prescrito com cautela para grávidas (que só devem utilizar o produto se houver orientação médica).

Dá pra usar na barba?

A bula diz que o produto não deve ser aplicado em outras áreas do corpo fora o couro cabeludo. De qualquer forma, se o mecanismo de ação do Avicis for mesmo através da inibição do DHT, o produto não deve ser eficaz para recuperar ou estimular o crescimento da barba (já que os pelos dessa região normalmente não são sensíveis ao hormônio).

Como usar o Avicis?

O frasco do Avicis vem com um aplicador de bico duplo. Para liberar a saída do produto, é preciso manter o frasco na posição vertical e girar o aplicador no sentido anti-horário. Em seguida, ele deve ser posicionado sobre a área afetada e deslizado com movimentos leves até que toda a região esteja levemente umedecida com o produto (não precisa apertar o frasco). Pra travar o aplicador depois de usar, basta girá-lo no sentido horário.

Orientação de aplicação do Avicis

Ilustrações da bula do Avicis, indicando como aplicar o produto. (Fonte: Galderma)

Fazendo essa aplicação durante aproximadamente um minuto, são liberados cerca de 3 mL do produto, que é a dosagem recomendada. Inicialmente o Avicis deve ser utilizado uma vez por dia, de preferência à noite. Depois que os primeiros resultados aparecerem, o seu médico pode orientar a redução da frequência de uso (uma aplicação a cada dois ou três dias).

O Avicis só deve ser aplicado sobre o couro cabeludo intacto (se houver qualquer irritação ou ferida, suspenda o uso) e de preferência seco (se for aplicar após o banho, seque bem o cabelo com uma toalha antes). Evite o contato com olhos e mucosas e lave bem as mãos depois de usar o produto.

Avicis funciona mesmo? Quais são os resultados?

O estudo mencionado na bula do Avicis diz que o tratamento foi capaz de diminuir ou estabilizar a proporção de fios na fase telógena em 91% das mulheres e 82% dos homens, e aumentar ou estabilizar a taxa de fios anágenos em 88% das mulheres e 79% dos homens.

A bula diz que, em comparação com placebo, o Avicis foi capaz de promover um aumento acentuado de fios anágenos na região frontoparietal (que abrange as porções frontal e superior do couro cabeludo, onde a alopecia androgenética se manifesta) em ambos os sexos.

Nesse mesmo estudo, apesar de os resultados terem sido considerados positivos em ambos os sexos, as mulheres avaliaram o tratamento como mais bem sucedido que os homens. Essas avaliações são subjetivas, mas podem ser um indicativo de que o produto seja mais eficaz nos casos de alopecia androgenética feminina (o que não significa que ele deva ser descartado nos quadros masculinos).

Um outro estudo que encontramos diz que o princípio ativo do Avicis seria mais eficaz em desacelerar ou estabilizar a alopecia do que em recuperar a densidade e o calibre dos fios, papel que seria mais bem desempenhado pelo minoxidil.

Gráfico de avaliação subjetiva dos resultados do Avicis em homens e mulheres

Apesar de os resultados do Avicis terem sido avaliados como ao menos perceptíveis por mais da metade dos usuários de ambos os sexos, as mulheres classificaram o tratamento mais positivamente que os homens (clique na imagem para vê-la em tamanho maior).

Cabe aqui fazer duas observações: a primeira é que, assim como com os demais produtos voltados para o tratamento da alopecia androgenética, é importante ter uma visão realista da situação para avaliar direito os resultados.

Muita gente acha que um produto só presta se encher a cabeça de cabelos de novo, e abandona o tratamento se isso não acontece, mas depois toma um baita susto quando a calvície volta a avançar no seu ritmo normal. Só então percebe que o produto na verdade estava segurando o avanço da alopecia, e se arrepende de ter parado de usar.

A segunda é que tratamento pra calvície tem que ser pensado no longo prazo. Segundo a bula do Avicis, a melhora na queda dos cabelos não deve ser esperada antes de pelo menos 1 mês de tratamento (e vale frisar que esse é um prazo mínimo, ou seja, os resultados podem levar mais tempo pra aparecer – os anúncios da versão comercializada na Argentina, Peru e México dizem que é a partir do terceiro mês que os resultados se tornam mais visíveis).

Diversas pessoas acabam não obtendo bons resultados com os tratamentos simplesmente porque desistem antes que eles possam apresentar seus efeitos. Se você estiver na dúvida sobre se o produto está funcionando pra você ou não, converse com o seu médico para avaliar a situação antes de interromper o uso.

Se eu aumentar a dose, o efeito acontece mais rápido?

Não. Usar mais do que o recomendado não melhora nem acelera os resultados, só aumenta as chances de ocorrência de irritações na pele. Não faça mudanças na posologia de qualquer medicamento por conta própria (a única pessoa que deve fazer isso é o seu médico, se e quando julgar necessário).

O que fazer se esquecer uma aplicação?

Siga com o uso normal e faça a próxima aplicação no horário previsto (não é preciso fazer uma aplicação a mais pra compensar a que você perdeu).

Se parar de usar o efeito é revertido?

Assim como os demais tratamentos disponíveis atualmente para a alopecia androgenética, o Avicis é capaz de retardar o avanço da calvície, mas não de curá-la completamente. Portanto, se o tratamento for interrompido, é de se esperar que a alopecia retome a sua atividade normal. Segundo a bula, a duração do efeito do Avicis após a interrupção do tratamento ainda não foi estudada.

O Avicis causa shedding como o minoxidil?

Shedding é uma reação temporária de aumento da queda de cabelo que pode acontecer no início de alguns tratamentos para a alopecia. O produto mais associado a esse tipo de ocorrência é o minoxidil, tanto que a própria bula do produto descreve essa queda acentuada como reação normal no início do uso.

A bula do Avicis não menciona essa ocorrência, então a gente imagina que ela não seja tão comum quanto com o uso do minoxidil. Apesar disso, já vimos alguns usuários relatando shedding com o uso de outros tratamentos bloqueadores de DHT.

Então, se você notar um aumento da queda de cabelos nos primeiros meses do tratamento, não se desespere, porque talvez seja esse efeito temporário. Na dúvida, converse com o seu médico.

Durante quanto tempo devo usar o Avicis?

Durante o prazo que o médico determinar. Não existem estudos que garantam a eficácia e tolerabilidade do Avicis por períodos maiores que um ano (isso não significa que o produto necessariamente deixe de fazer efeito ou se torne prejudicial à saúde após esse prazo, mas por precaução o uso só deve ser mantido se houver acompanhamento médico).

Avicis pode ser usado junto com outros medicamentos?

Apesar de a bula não relatar interações conhecidas com outros remédios, você deve conversar com o seu médico sobre qualquer outro produto ou medicamento (tópico ou sistêmico) que utilize antes de começar o tratamento com Avicis (isso inclui o minoxidil, finasterida, cetoconazol e outros tratamentos para a alopecia androgenética).

O mesmo princípio é válido caso você tenha qualquer doença ou problema de saúde: comunique ao seu médico antes de iniciar o tratamento, e só utilize o Avicis se ele autorizar.

Precisa de receita médica pra comprar?

Sim, o Avicis é apresentado no Brasil como medicamento tarja vermelha e só deve ser vendido sob prescrição médica. A gente sabe que tem muita farmácia que vende (e manipula) esses medicamentos sem exigir apresentação da receita, mas além de essa prática sujeitar o estabelecimento a multa e interdição, ainda coloca a sua saúde em risco. A automedicação pode trazer problemas extremamente sérios, portanto não se arrisque: consulte sempre o seu médico.

Existe Avicis genérico ou manipulado?

O princípio ativo do produto está disponível para manipulação no Brasil. Já vimos inclusive algumas farmácias de manipulação anunciando loções com 17 alfa-estradiol (não temos condições de comparar a eficácia desses produtos à do Avicis original).

Vários dermatologistas prescrevem fórmulas contendo o ativo, muitas vezes em combinação com outras substâncias ou em concentrações diferentes da do Avicis, que é vendido a 0,025% (0,25 mg de 17 alfa-estradiol por 1 ml de solução).

Só é preciso conferir a receita direitinho na hora de solicitar o produto e garantir que a substância utilizada seja a correta, porque o estradiol também pode ser manipulado (e por ser bem mais ativo hormonalmente que o alfaestradiol, pode apresentar outros efeitos colaterais).

Onde comprar o Avicis?

O produto tem boa distribuição nas farmácias de todo o país (várias delas disponibilizam a compra através de lojas online também).

Quanto custa?

O Avicis não é exatamente um produto barato, mas dependendo da frequência de uso ele pode ter uma boa relação custo/benefício.

Os preços que encontramos variam na faixa entre R$ 108,00 e R$ 142,00. A embalagem tem 100 ml: usando de acordo com a indicação da bula (3 ml por dia) cada frasco dura um pouco mais de um mês, mas como a dosagem pode ser diminuída posteriormente, o produto pode acabar rendendo mais e fazendo o custo mensal cair bastante.

Vale a pena pesquisar por descontos e promoções na hora de comprar. Muitas vezes o menor preço que você vai achar é o de uma farmácia online, mas nesses casos é preciso conferir também o valor do frete para a sua região.

A Libbs Farmacêutica produz uma solução similar ao Avicis, chamada Tegan, que parece ser mais barata (entre R$ 70,00 e R$ 95,00), mas também mais difícil de encontrar nas farmácias. Não sabemos se os produtos seriam semelhantes em termos de eficácia e resultados.

Atualização (27/11/2015): a leitora Cintia nos informou que a Galderma tem um programa de benefícios chamado Em Dia com a Pele, no qual é possível se cadastrar e obter desconto na compra do Avicis (e mais outros 4 produtos) nas farmácias credenciadas. Pra saber mais e se inscrever, clique aqui.

Vale a pena?

Os tratamentos que interferem na produção ou atividade dos hormônios relacionados à alopecia androgenética (como a finasterida, dutasterida, flutamida e outros) costumam ser controversos porque, de modo geral, quanto mais fortes e eficazes eles são, maiores são os riscos de apresentarem efeitos colaterais.

Quem sofre com a calvície torce pelo dia em que vai ser possível obter os efeitos destes medicamentos apenas nos folículos capilares, de forma segura, sem absorção sistêmica que possa apresentar riscos à saúde – e os produtos tópicos (como shampoos, loções e tônicos capilares) são a grande aposta para que isso possa acontecer.

O Avicis é o primeiro produto tópico que vimos com ação comprovada sobre a cadeia hormonal que provoca a calvície e aprovação dos órgãos reguladores como tratamento específico para a alopecia androgenética.

Seus efeitos parecem ser mais brandos que os oferecidos por outros medicamentos, mas ele também parece ser bem mais seguro (e isso é bastante importante na adesão ao tratamento, que é fundamental para que se observem bons resultados).

O maior fator complicador para o uso do Avicis, na nossa opinião, parece ser o preço. Mas se o seu médico autorizar uma redução na frequência de uso após os primeiros meses, o custo do produto se dilui ao longo do tempo e fica bem mais fácil de bancar. Pode ser que as fórmulas manipuladas também apresentem valores mais competitivos.

É provável que o Avicis seja apenas um dos componentes do tratamento prescrito pelo seu médico (que pode incluir outros remédios, suplementos, loções e afins). Tratar o problema por várias frentes diferentes costuma ser a melhor estratégia, e o Avicis pode ser um participante importante do seu plano antiqueda, desde que você tenha expectativas realistas em relação ao produto. Como sempre dizemos, é fundamental saber o que se pode esperar de cada tratamento e ter persistência para conseguir avaliar se ele de fato cumpre o que promete.

Agora, queremos saber:

Você já utilizou o Avicis? Como foi a sua experiência com o produto? Restou alguma dúvida que não respondemos neste post? Conte pra gente abaixo nos comentários :)

facebooktwittergoogle_pluspinterest
AVISO: As informações e opiniões publicadas pelo Chega de Queda! não possuem autoridade profissional e não devem ser interpretadas como aconselhamento médico. Nunca utilize qualquer medicação por conta própria. Consulte sempre o seu médico.
Comentários
  1. Gabriela
  2. Gabriela
    • Chega de Queda!
  3. Guilherme
  4. Cintia
  5. Richardson Eduardo Nunes Costa
    • Chega de Queda!
      • Richardson Eduardo Nunes Costa
  6. Gabriel
  7. Paulo Lucas
    • Chega de Queda!
    • Daniela
    • Isabella
    • Dayane
    • Eloiza
  8. Catarina Farias
    • Chega de Queda!
    • Thereza
  9. Andressa Souza
    • Chega de Queda!
      • Andressa Souza
  10. Paranaense
    • Chega de Queda!
      • Paranaense
        • Chega de Queda!
  11. Geraldo
    • Chega de Queda!
  12. Elaine
  13. Luana
    • Chega de Queda!
    • Dayane
    • Ana Cristina
    • Simone Mangili
    • Cláudia
    • Fátima Ribeiro
  14. Felipe Garcia
    • Chega de Queda!
      • Felipe
  15. Ana
    • Chega de Queda!
  16. Alexandre
    • Chega de Queda!
  17. Paranaense
    • Chega de Queda!
  18. Ana
  19. Natalia
  20. Raiane
    • Chega de Queda!
  21. Carina
    • Chega de Queda!
  22. Tais
    • Chega de Queda!
  23. Jornandes
  24. Kris
  25. Fabi
    • Chega de Queda!
  26. Tiago
  27. TP
    • Chega de Queda!
  28. Gessica
    • Dayane
  29. Tereza
    • Chega de Queda!
  30. Michel
  31. Juliana
  32. Susi
  33. Dulce
  34. Fernandes
    • Chega de Queda!
  35. Katia
  36. Claudio
  37. Ranna
    • Chega de Queda!
  38. Bianca
  39. Rosaria
    • Chega de Queda!
  40. Aline
    • Chega de Queda!
  41. Maria
  42. Kátia
    • Chega de Queda!
  43. Elina
    • Chega de Queda!
  44. Luciana
    • Chega de Queda!
  45. VSell
  46. Rose
  47. Jack
  48. Vanessa
  49. Mariza

Deixe seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *